2/06/2009

Água de Rebelião

Tão mais fácil seria viver somente para mim mesmo e para alguns poucos que me fazem o bem.
Tão mais simples sentir compaixão somente por aqueles que me cercam. Afinal, que poderia mudar? Que efeitos teriam minhas esperanças e ações diante do tudo comprometido.

Diante do que é, reconheço-me absolutamente pessimista.
Insisto em apenas me contentar e aprender a aceitar o mundo como está, porém em vão.
Tento não me importar tanto ao ponto de poder seguir a sina particular do homem moderno, porém em vão.

Sim! Em vão tento me desviar da indignação do Espírito da Vida, que nos dá água de beber, tal como água de rebelião, que mata a sede dos áridos pensamentos, que quase não sonham mais.
Sigo na vida com uma angustiante inquietude, pois sou como aqueles tantos, vocacionado à liberdade, seduzido pela transcendência, sonhador por tempos melhores.
Se posso ou não posso mudar, suspeito que em poucas coisas.
Porém, seja aqui ou em outro lugar, a liberdade a de se revelar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog