11/27/2009

FILOSOFIA E CIDADE

Existe uma relação inseparável entre polis e filosofia, isto é, entre espaço e conhecimento, entre aspectos materiais da existência humana e as representações simbólicas construídas para interpretação desta existência. O conhecimento que se tem da realidade é construído a partir da própria experiência da mesma, isto é, das relações sociais, políticas, econômicas e ideológicas/religiosas.

Entretanto, esta premissa não garante que as significações que construímos representam a realidade com toda exatidão. Em variadas circunstâncias, o conhecimento construído (ou assimilado) se mostra desconexo do real, como no caso dos processos ideológicos (conforme conceito marxista), que alienam os sujeitos, impedindo que classes ou grupos, subjugadas social e economicamente, possam construir o seu próprio discurso da realidade.

O conhecimento deve ser construído a partir de um contado crítico e metódico com a realidade, de modo que pseudo-conhecimentos propostos pelo senso comum e pelos instrumentos ideológicos sejam superados. No contexto latino-americano, o desafio reside em construir um conhecimento da cidade, não a partir de modelos interpretativos importados da Europa e dos EUA. (no contexto amazônico, do Sudeste Brasileiro). O conhecimento sobre a realidade deve ser produzido pelos sujeitos que com ela interagem.

Portanto, quando se pensa o processo de implementação de políticas públicas, o conhecimento da realidade local deve ser valorizado, quando parte considerável da execução de tais políticas fica a cargo do município. Trata-se de um esforço metodológico que garante que demandas específicas de cada localidade sejam atendidas.

Curso de Gestão Pública - UMESP

Equipe de trabalho Pólo Porto Veho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog