4/26/2010

A Bíblia, o Mar Vermelho e nossas interpretações


Há tempos tenho ouvido as histórias bíblicas, especialmente sobre os feitos poderosos de Deus para libertar os descendentes de Abraão da servidão do Egito. Lembro-me também dos filmes bíblicos que tratavam da saga de Moisés, que mostravam todas as pragas, a abertura do Mar Vermelho, a escrita dos Dez Mandamentos. Quando se falava na libertação do Egito – tanto nas pregações, quanto nos estudos bíblicos – o poder e a fidelidade de Deus eram enfatizados.

Em meus estudos teológicos, acabei por encontrar muitos autores, dos mais conservadores (fundamentalistas) até os mais históricos e críticos (liberais). Cada tendência teológica interpreta o texto bíblico de uma forma. Grupos fundamentalistas, por exemplo, defendem a interpretação literal da Bíblia. Eles dizem que muitos estudiosos da Bíblia acabam negando a fé, pois afirmam que o Mar Vermelho não se abriu, e que as dez pragas do Egito não aconteceram. Diziam que estes teólogos estavam mais preocupados em seguir as ciências do que defender as verdades bíblicas.

Do outro lado estão biblistas que aplicam métodos científicos de interpretação de textos antigos no estudo da Bíblia. Para eles, muitas narrativas bíblicas não são fatos históricos, mas mensagens de fé apresentadas em estilos literários das épocas antigas, tais como o “mito”, “saga”. Para esta escola, a narrativa da “abertura do Mar Vermelho” tem uma mensagem a transmitir, porém, não se trata de uma realidade histórica.

Muitos debates ocorreram no decorrer do século XX por causa destas diferenças interpretativas. Porém, uma outra questão tem me incomodado. Muitos lutam com todos os argumentos para tentar provar que Deus abriu o Mar Vermelho, mas esquecem que qualquer ação de Deus esteve a serviço do propósito de libertar o seu povo da servidão do Egito. Brigam para que o milagre seja histórico, ao passo que negam a história da libertação dos servos (ou escravos), ao conferir-lhe um sentido alegórico ou espiritualizado.

Deus abriu o mar vermelho mesmo? Se não foi bem assim, este texto aponta para a capacidade de superação que Deus dá a seu povo, que também é milagre de renovo da esperança na luta pela liberdade. Se sim, se Deus de fato abriu o mar vermelho, isso foi feito para que os servos fossem libertos do julgo econômico, social e político. O elemento central do texto não é o milagre de “abrir o Mar Vermelho”, ou mesmo as Dez Pragas. O elemento central é o propósito eterno de Deus em ver seu povo livre de todo cativeiro.

Entretanto, na atualidade, as pessoas simplesmente não conseguem enxergar que o Êxodo tem uma mensagem de libertação social, econômica e política. Elas só conseguem aplicar a mensagem do texto para sua vida pessoal, despolitizando o texto e sua própria espiritualidade. É notório como a interpretação da Bíblia é influenciada pela cultura individualista do mundo moderno. É preciso libertar a Bíblia destes condicionamentos culturais, permitindo que o agir de Deus na história do Seu povo seja compreendido para além da ‘aplicação individual’. Um problema sério deste modelo de espiritualidade é que as pessoas que vivem na espera de um milagre acabam por não atentar para a responsabilidade de agirem na história.

Para muitos a dúvida persiste: históricamente, podemos afirmar que Deus abriu o Mar Vermelho? Não! Não podemos afirmar que esse milagre realmente aconteceu. Porém, o texto não deixa dúvidas sobre o desejo de Deus de libertar o oprimido de seu sofrimento, seja nos tempos antigos, seja na atualidade.

Que lições poderíamos tirar desse texto?
Naquilo que cabe a Deus, creiamos que ele fará, pois é Fiel. Daí a importância da oração e da dependência de Deus. Porém, naquilo que cabe a nós, façamos, inspirados pelo amor de Deus e pela força da Sua Palavra, que levanta profetas e profetizas para defenderem os princípios do amor, da justiça e do direito de Deus nas sociedades humanas. Que possamos tanto orar quanto agir para que o órfão e a viúva sejam defendidos e para que os servos sejam libertos em nosso tempo. Fazendo assim, melhor compreenderemos o significado do Mar Vermelho se abrir diante de nós, pelo agir de Deus na história.

Gidalti Guedes da Silva

5 comentários:

  1. Bom dia
    so queria deixar uma observação
    vc poderia ser mais claro que diz neste texto
    pois, não é o bastante para p entendimento de uma pessoa leiga.q

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!Pra quem conhece o seu trabalho, sabe o quanto voçê é um homem inteligente, sábio de palavras.É importante que use esse dom pra louvor á Deus.Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Mai me diga uma coisa moço, esse trem abriu ou não Mó de que vou pregar domingo e tu deixou nós confudido.

    ResponderExcluir
  4. Caro leitor, você tem liberdade para fazer comentários. No entanto, espero que você dê uma contribuição a partir do texto acima.

    Grato.

    ResponderExcluir
  5. Esse texto nao esta muito claro, pois deixa algumas duvidas, para aqueles que nunca experimentaram o poder de DEUS.

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog