4/01/2011

Uso do Twitter por candidatos evangélicos a deputado no estado de São Paulo


Marcio Araujo OLIVERIO
Gidalti Guedes da SILVA

RESUMO: Nesse trabalho analisaremos a relação entre atores políticos e seguidores em sites de rede
social, até que ponto o fato de ser um candidato evangélico traz um real comprometimento com os
eleitores. Apresentaremos uma leitura sobre a utilização por candidatos evangélicos a deputado no
estado de São Paulo de ferramentas como o Twitter. Como se da produção de sentido religioso e
conseqüentemente a conquista de votos dos fiéis. O trabalho também faz uma breve análise da relação
entre Cibercultura, política e igreja e as dificuldades da Igreja na adoção de novas tecnologias.

PALAVRAS-CHAVE: Cibercultura; Redes Sociais ; Política ; Igreja ; Religião.


Bibliografia

CASTRO, C. P. D. Por uma fé cidadã - A dimensão pública da Igreja. São Paulo: Edições Loyola, 2000.
(Coleção Ciências da Religião).
CUNHA, M. D. N. Consumo: novo apelo evangélico em tempos de cultura gospelEstudos da Religião.
São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2004.
______. A explosão gospel: um olhar das ciências humanas sobre o cenário evangélico no Brasil. Rio
de Janeiro: Instituto Mysterium
Mauad Editora, 2007.
FELICIANO, M. bem vindo novamente... rsrsrs. v. 2010. n. 30 de agosto2010. p. Entrevista concedida
pelo candidato Marco Feliciano via twitcam - http://twitcam.livestream.com/1er4k
FRESTON, P. Evangélicos na política brasileira, história ambígua e desafio ético. Curitiba: Encontrão,
1994.
LÉVY, P. A revolução contemporânea em matéria de comunicação. In: MARTINS, F. M.; SILVA, J. M.
D. (Ed.). Para Navegar No Seculo XXI: Tecnologias Do Imaginario E Cibercultura. Porto Alegre: Sulina,
1999. p. 195 - 216.
MENDONÇA, A. G. Protestantismo no Brasil, marginalização social e misticismo pentecostal. 2ª
Edição. ed. Op. citi: Prócoro. (Introdução ao protestantismo no Brasil).
MENDONÇA, A. G.; FILHO, V. Evolução histórica e configuração atual do protestantismo no Brasil. In:
MENDONÇA, A. G. (Ed.). Introdução ao protestantismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 2002.
PUNTEL, J. T. Cultura midiática e Igreja: uma nova ambiência. São Paulo: Paulinas, 2005. (Série
comunicação e cultura).
QUEIROZ, A. Polêmicas e perspectivas do marketing político brasileiroMarketing político brasileiro:
ensino, pesquisa e mídia. Piracicaba: Adolpho C. F. Queiroz, 2005a. p. 29-36.
______. Propaganda eleitoral onlineMarketing político brasileiro: ensino, pesquisa e mídia. Piracicaba:
Adolpho C. F. Queiroz, 2005b.
RECUERO, R. Rede Social_Raquel Recuero. In: SPYER, J. (Ed.). Para entender a Internet, 2009. p.
25-26.
RECUERO, R.; ZAGO, G. Em busca das "redes que importam": Redes Sociais e Capital Social no
Twitter. Anais do XVIII Encontro da Compós. Belo Horizonte, MG2009.
RÜDIGER, F. A Herança de McLuhan - Manuel Castells e a era da Informação. In: SULINA, E. (Ed.).
Introdução às teorias da cibercultura. Porto Alegre, 2007. Cap.5. p. 198.
SANTOS, M. A aceleração contemporânea: tempo-mundo e espaço-mundoTécnica, espaço, tempo -
Globalização e Meio Técnico-Científico Informacional. São Paulo: Editora Hucitec, 1998. p. 29 - 39.
THOMPSON, J. B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Tradução de BRANDÃO, W.
D. O. 10 edição. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

_________________________
Texto completo clique abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog